19 de outubro de 2015

Resenha: A Irmandade Perdida | Anne Fortier

Diana Morgan é professora da Universidade de Oxford, obcecada pelas amazonas desde a infância, quando sua avó alegava ser uma e, depois, desapareceu.  Por causa dessa fixação, Diana viajará até a África, onde encontrará Nick Barrán e um templo de, no mínimo, 3 mil anos, com as paredes cobertas por inscrições da Idade do Bronze. Com a ajuda de um caderno deixado pela avó, ela começa a decifrar essas inscrições e logo encontra o nome de Mirina, a primeira rainha das amazonas. 

Seguindo o rastro dessas guerreiras, Diana e Nick se lançam em uma jornada em busca da verdade por trás do mito - algo capaz de mudar suas vidas, mas também de despertar a ganância de colecionadores de arte dispostos a tudo para pegar o lendário Tesouro das Amazonas.
Tenho que admitir que só quis esse livro por causa da sua capa maravilhosa. Mas qual não foi minha surpresa quando vi que o lado de dentro era tão bonito quanto o lado de fora! O que mais gostei nesse livro foi o fato de a estória nunca ficar chata ou parada; em, literalmente, cada final de capítulo há um plot twist. Mas, como nem tudo na vida são flores, tem uma coisinha que eu não gostei: acontece muita coisa e, em determinado ppont, a estória fica meio cansativa, mas ainda assim é uma ótima leitura ;)

A narrativa é dividida entre a Diana, no presente, e a Mirina, no passado. Embora os momentos sejam tão diferentes, uma coisa eles tem em comum: o amor. Eu não gosto de romances, porque, geralmente, os personagens se encontram pela primeira vez e já se apaixonam, o que raramente acontece na vida real. Neste livro, os casais vão se conquistando aos poucos, bem mais legal e mais real.
Esse é o segundo livro que leio sobre o feminismo e posso dizer que estou gostando muito de ler sobre isso. Se alguém quiser conhecer mais sobre essa ideologia, A Irmandade Perdida pode ser um bom começo. Recomendo! :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...